Vereadores Beto de Ribão e Oziel Meneses votam contra o sonho de pessoas pobres possuírem uma casa própria pra morar com suas famílias em Pinheiro.


Na sessão ordinária da Câmara municipal de Pinheiro, realizada na última terça feira (6) foi aprovado em segunda e última discussão a alteração do artigo 56 do Plano diretor do município de Pinheiro, que trata da dimensão em metros dos terrenos das casas a serem construídas por empresas e repassadas à pessoas de baixa renda, através do financiamento bancário pela Caixa ou outras entidades bancárias através do “Minha casa, minha vida”.
De acordo com o artigo em questão, a exigência pra que um cidadão comprovadamente de baixa renda pudesse fazer um financiamento bancário de imóvel na área urbana do município, seria necessário que este imóvel, medisse 84 metros quadrados, adequando-se assim, as novas regras de financiamentos exigidas pela caixa econômica federal através do programa “Minha Casa, minha Vida”. Contudo, apesar das inúmeras participações e manifestações dos vereadores, Alessandro Montenegro (PP), João Moraes (PSB), Sandro Lima (PC do B), Riba do Bom Viver (PDT), Ednildo Rodrigues (PC do B), Lucas do Beiradão (PSDB), Paulinho Enfermeiro (PMN), Rubemar Ribeiro (PMDB), Vereador Albininho (PC do B) e Capadinho (PMDB), todos da base governista, e mais os Vereadores Walter Soares (PV) e Guto (PV), ambos oposicionistas ao governo atual, entenderem que a modificação em questão seria, e é pra beneficiar diretamente pessoas com poder aquisitivo baixo, ou seja, qualquer cidadão pinheirense que recebe um salário mínimo e estar em dias com suas obrigações, poderá ter o direito de adquirir através do programa do governo federal um imóvel nessas condições, após a aprovação desse dispositivo do Plano Diretor.
Muito embora houvesse uma discussão ampla e embassado pelo quadro jurídico da Câmara, a garantia do entendimento pela maioria ampla dos edis presentes, os Vereadores Beto de Ribão (PSD) mais conhecido como “Patati” e o Vereador Oziel Meneses (PSD), conhecido como “Patatá”, tiveram um entendimento diferente dos outros colegas, chegando-os a alegação de que a aprovação do dispositivo que beneficiaria o povão, só beneficiaria empresários construtores desses imóveis, palavras do Vereador Beto de Ribão, o mesmo edil em questão, chegou a ilariar, dizendo que acreditaria que os seus próprios pares estariam sendo beneficiados por empresários para aprovar tal projeto, o que será representado por seus pares para que provem tal afirmação.
Na verdade, “Patatí” envolveu até os seus próprios colegas de oposição nesse enquadramento de “benefícios”, já que ele acha que todos que foram a favor, seriam beneficiados, o que ele não atentou na verdade, é que o maior beneficiário de tudo isso, são os mais humildes, as pessoas que não dispõem de uma grande renda para realizar o sonho da casa própria.
Mais uma vez presenciamos a incompetência do vereador falastrão Beto de Ribão, que hora fala mal do prefeito e de seus pares, e volta e meia, tenta barganhar favores pessoal com a gestão, algo que lhe é peculiar.

Deixe uma resposta