BOLSA ESCOLA INJETA R$ 4 MILHÕES NAS CIDADES MARANHENSES DE MENOR IDH

“Sou credenciado ao Bolsa Escola desde o ano passado, e desde então as vendas melhoraram”, disse Alacide Lopes de Melo, lojista de Governador Newton Bello, uma das 30 cidades com menor desenvolvimento humano (IDH) do Maranhão, beneficiadas com investimentos de R$ 4 milhões do Programa Bolsa Escola. Segundo comerciantes, o programa que transfere renda para a compra de material escolar tem ajudado a movimentar a economia dessas cidades.

Para a promover o Bolsa Escola em todo o estado, o Governo do Maranhão aplicou o total de R$ 59,2 milhões, aquecendo as vendas de 1.413 estabelecimentos habilitados para a comercialização de material escolar aos beneficiários do programa. São 843 comércios a mais que no ano passado, representando um aumento de 69% à rede credenciada. O valor do benefício também aumentou em 12,5%, passando a custar R$ 51 por criança atendida.

Para seu Alacide, o reajuste do Bolsa Escola ajudou a manter as vendas aquecidas durante a crise. “Apesar da inflação ter subido, aumentou o crédito do cartão, o que nos ajudou. Acho que, esse ano, o lucro vai ser igual ao do ano passado”, falou o proprietário da Loja Fortaleza, em funcionamento há mais de 10 anos no município.

Somente para Governador Newton Bello, o Governo do Maranhão destinou R$ 123.165,00, beneficiando aproximadamente 2.500 crianças. “É uma ajuda boa para as famílias, o pessoal gosta muito dessa ajuda do governo do estado”, concluiu Alacide, que além de material escolar, comercializa roupas e calçados na sua loja.

Melhoria nas vendas

Programa Bolsa Escola também está beneficiando estudantes dos municípios de menor IDH. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Em São João do Sóter, o aporte financeiro do Bolsa Família foi de R$ 22.116,00, em benefício a mais de 4 mil alunos. Para Francisco de Paiva Sousa, proprietário do Comercial K e K, o programa representou um aumento de 70% nas vendas, só no ano passado.

“Melhorou muito porque uma coisa puxa a outra. Além do material escolar, o pessoal aproveita e olha os outros produtos que não podem comprar com o cartão. O cliente pode até não ter dinheiro na hora, mas volta e faz a compra por fora”, afirmou Francisco, que também vende produtos de beleza.

Aumento da concorrência

A melhoria nas vendas também foi notória em Itaipava do Grajaú, aumentando a busca de comércios para credenciamento no Bolsa Escola. Segundo Bejoci Costa Sobrinho, gerente da Papelaria Fácil, credenciada ao programa desde o ano passado, a concorrência aumentou este ano. “Ano passado eu estava praticamente só em Itaipava, só tinha uma pessoa comigo vendendo. Hoje estou concorrendo com três [comércios]”, afirmou.

Para Bejoci, a busca por credenciamento é reflexo do sucesso do Bolsa Escola. “Na situação que as empresas vivem hoje, isso aí foi muito bom, esse programa do governo. Também incentiva às crianças irem para a escola, com a compra do material escolar”, disse ele. Somente em Itaipava do Grajaú, o programa injetou de R$ 156.213,00, auxiliando mais de 3 mil beneficiários.

As cidades com menor IDH, são: Pedro do Rosário, Fernando Falcão, Marajá do Sena, Jenipapo dos Vieiras, Satubinha, Água Doce do Maranhão, Lagoa Grande do Maranhão, São João do Carú, Santana do Maranhão, Arame, Belágua, Conceição do Lago-Açu, Primeira Cruz, Aldeias Altas, São Raimundo do Doca Bezerra, São Roberto, São João do Sóter, Centro Novo do Maranhão, Brejo de Areia, Serrano do Maranhão, Amapá do Maranhão, Araioses, Governador Newton Bello, Cajari, Santa Filomena do Maranhão, Milagres do Maranhão, São Francisco do Maranhão, Afonso Cunha, Itaipava do Grajaú e Santo Amaro do Maranhão.

Deixe uma resposta